Como Montar um Empório

0 Comentários

O empório é um comércio varejista, que também pode ser chamado de mercearia, que oferece produtos chamados secos e molhados. Na maioria das vezes são alimentos de alta qualidade e importados.

Os produtos comercializados por empórios são: geleias, embutidos, queijos, castanhas, grãos, antepastos, produtos artesanais, como macarrão, entre outros.

Muitos dos empórios atualmente, combinam esses produtos com cervejas artesanais, vinhos e, também, com algumas especiarias de padaria.

É importante estabelecer um foco ao abrir um empório, por exemplo, especializar na venda de cervejas ou vinhos, e a partir disso, desenvolver o mix de produtos.

1- Localização do Empório

Para definir a localização do empório, deve levar em consideração o perfil do público alvo do negócio. Os consumidores dos produtos desse tipo de empreendimento normalmente são pessoas de classe A e B.

Dê preferência a um local que seja de fácil acesso, próximo à bairros, em vias movimentadas e próximas a outros comércios.

Faça um levantamento de quem serão seus concorrentes diretos e indiretos, próximos de onde pretende instalar seu negócio.

É importante atentar-se se o imóvel que você irá comprar ou alugar atende aos seguintes pontos:

• A planta do imóvel deve estar aprovada pela Prefeitura do município.

• Leve em consideração todos os custos que a compra ou aluguel do imóvel irá acarretar, aluguel, taxas, custo de adaptação, manutenção, imposto entre outros.

• Consulte a vizinhança para saber se há algum detalhe quanto ao imóvel e a própria vizinhança que você deveria saber.

• Confira se o ponto é de fácil acesso, possui estacionamento para veículos (local, próximo ou conveniado), área para carga e descarga de mercadorias e conta com serviços de transporte coletivo nas redondezas.

• Confira a planta do imóvel aprovada pela Prefeitura, e veja se não houve nenhuma obra posterior, aumentando, modificando ou diminuindo a área, que deverá estar devidamente regularizada.

• Verifique se o imóvel está regularizado.

• Tenha certeza se as atividades a serem desenvolvidas no local respeitam a Lei de Zoneamento do Município.

• No caso de serem instaladas placas de identificação do estabelecimento, letreiros e outdoors, verifique se as leis de zoneamento permitem.

2- Estrutura e Layout do Empório

Os mais modernos empórios apostam em um conceito que remete aos antigos armazéns mantidos por imigrantes europeus, com um design rústico, itens de charcutaria pendurados, preços e informações escritos manualmente em pequenas lousas, iluminação não muito forte, móveis e equipamentos com lindo design e máxima qualidade.

O empório pode congregar ainda um ambiente para os clientes desfrutarem de vinhos, cervejas e deliciosos petiscos ou tomar um saboroso café.

Desenvolva um próprio conceito da marca, seja único, não economize na criatividade e no bom gosto.

Um empório pode apresentar algumas variações, caso ofereça a possibilidade de consumir cervejas, vinhos e alimentos em geral dentro do empório, deve ter um espaço reservado para os clientes.

Assim, deverá ter também uma pequena cozinha para o preparo de sanduíches e petiscos que serão servidos.

Na hora de montar toda a estrutura e layout do empório, leve em consideração todos os pontos citados acima.

Geralmente possuem uma área de 60 à 100m², onde consiga haver praticidade, higiene, espaço e local confortável para seus funcionários e clientes.
– Área para disposição de prateleiras com produtos;
– Adega;
– Área para clientes com mesas e cadeiras;
Cozinha;
– Estoque;
– Banheiros;
– Sala para administrativo;
– Área para funcionários com banheiro e vestiário;
– Balcão de atendimento;
– Caixa.

3- Móveis e Equipamentos do Empório

Escolha os móveis, equipamentos e utensílios corretamente para evitar gastos excessivos. Busque uma equipe especializada e a ajuda de um arquiteto para realizar toda a estrutura do empreendimento.

Confira alguns itens necessários para um empório:
– Gôndolas;
– Prateleiras;
Balcão de atendimento;
Freezer;
Geladeira;
Balcão frigorífico;
Balança;
Cortador de frios;
Estantes;
– Mesas;
– Cadeiras;
– Copos;
– Pratos;
– Travessas;
– Talheres;
Chapa;
Mesa de inox.

Preparamos um checklist completo com todos os móveis, equipamentos e utensílios necessários para montar o empório. Baixe gratuitamente agora!

 

4- Acondicionamento, organização e estoque dos produtos de um Empório

Os produtos comercializados devem ser estrategicamente dispostos pelo empório, tudo deve convergir para a aquisição de produtos complementares, como tira-gostos perto da seção de cervejas, ou patês perto das torradas.

Está em dúvida sobre quais produtos você vai precisar? Preparamos um material exclusivo pra você:

Deixe os produtos com maior saída sempre na altura dos olhos dos consumidores.

Atenção com os produtos altamente perecíveis, estes devem ser retirados de exposição antes de estarem impróprios para o consumo.

A higienização das gôndolas, prateleiras e balcões é essencial, os produtos não devem, nunca, ficar acondicionados em locais com qualquer tipo de sujeira.

Quanto ao depósito de seu empório você precisará de prateleiras e pallets.

Atenção para a classificação dos produtos no momento de definir onde cada um dos seguintes grupos ficarão acondicionados:
– Gêneros alimentícios
– Produtos de limpeza residencial
– Produtos de higiene e limpeza pessoal
– Bebidas alcoólicas e não alcoólicas
– Utilidades domésticas diversas

5- Equipe do Empório

A formação do corpo profissional de seu empório é de extrema importância, o bom atendimento ao cliente dependerá de uma equipe bem treinada e com conhecimento dos produtos comercializados no empório.

Invista na capacitação e atualização de seus funcionários, com constante aprimoramento no atendimento.

O número de funcionários é relativo ao tamanho de seu estabelecimento, essencialmente é necessário uma equipe composta por:
– Caixa
– Repositor
– Auxiliar de serviços gerais
– Atendente de rotisseria
– Atendente de lanchonete
– Segurança
– Gerente
– Administrativo
– Equipe para limpeza

É indispensável que todos os funcionários sejam corteses e profissionais, que estejam sempre dispostos a ajudarem os clientes.

Ao proprietário do empório é aconselhado que sempre fique atento, podendo assim propor novos treinamentos aos colaboradores e também alterar o processo do negócio caso seja necessário.

6- Fornecedores do Empório

Na escolha de seus fornecedores é preciso ser extremamente criterioso.

É imprescindível que se faça uma pesquisa sobre cada um deles, para analisar se há reclamações em órgãos competentes e se são devidamente regularizados.

Em caso de empresas importadoras, procure saber também sobre os fabricantes dos produtos.

Quanto aos fornecedores de produtos artesanais no Brasil, é preciso checar se possuem a certificação do ministério da agricultura.

Atenção para as necessidades de seus clientes, nem sempre a resposta são produtos caros e importados.

Quando for selecionar seus fornecedores de produtos frescos, como os vegetais, procure manter uma relação próxima para conseguir sempre os produtos frescos e de maior qualidade e, caso os produtos sejam orgânicos, ter certeza que não são expostos a agrotóxicos e fertilizantes inorgânicos.

7- Divulgação do Empório

A divulgação do empório deve despertar curiosidade e interesse na população.

Busque auxílio de uma agência de publicidade para auxiliar a empresa a realizar um evento de inauguração, panfletos para distribuir na região, promoções, ações de marketing, para que instigue as pessoas a ir conhecer o estabelecimento.

A propaganda é indispensável para que o estabelecimento se torne cada vez mais reconhecida, para que haja divulgação de promoções, ações e informar novidades.

O acesso às informações fica muito mais rápido e fácil quando a empresa está presente nas redes sociais e em sites, isso faz com que o empreendimento possa atingir muito mais pessoas e sanar possíveis dúvidas, além de ser um meio de comunicação de baixo custo e de muito resultado.

8- Exigências legais e específicas

Segundo o Sebrae, antes da abertura de uma empresa o empreendedor deverá atentar para uma série de providências iniciais.

Para que não ocorra nenhuma pendência que possa causar atrasos na abertura da empresa, recomenda-se fortemente a contratação de um profissional de contabilidade que seja legalmente habilitado para proceder à elaboração dos atos constitutivos da empresa, bem como auxiliar ao empreendedor na definição da forma jurídica mais adequada para o seu projeto.

Além das orientações, esse profissional se encarregará do preenchimento dos formulários exigidos pelos órgãos públicos para a inscrição de pessoas jurídicas.

A legalização da empresa é realizada junto aos órgãos responsáveis para as devidas inscrições.

O registro de uma empresa é similar a um processo, sendo composto por algumas etapas a serem cumpridas:

• Registro na Junta Comercial.

• Inscrição na Secretaria da Receita Federal para número do CNPJ.

• Registro na Secretaria Estadual da Fazenda.

• Inscrição na Prefeitura do Município para obtenção do alvará de funcionamento.

• Enquadramento na Entidade Sindical Patronal (a empresa ficará obrigada ao recolhimento anual da Contribuição Sindical Patronal).

• Cadastramento junto à Caixa Econômica Federal no sistema “Conectividade Social – INSS/FGTS”.

• Solicitação de Licença do Corpo de Bombeiros Militar para funcionamento.

É importante que o empreendedor esteja atento para a necessidade de consulta à prefeitura local sobre a viabilidade da instalação da loja no local pretendido, de forma que possa conseguir todos os alvarás necessários ao pleno funcionamento do negócio, a exemplo do Alvará de licença sanitária.

Vale destacar que, no âmbito federal, a fiscalização é de responsabilidade da Agência Nacional de Vigilância Sanitária, enquanto nos estados e municípios esse papel é atribuído às Secretarias Estadual e Municipal de Saúde (quando for o caso).

Lembrando que as empresas que fornecem serviços e produtos no mercado de consumo, devem observar as regras de proteção ao consumidor, as quais estão contempladas pelo Código de Defesa do Consumidor – CDC que rege as relações de consumo em todo o território brasileiro, com o objetivo de equilibrar os negócios entre consumidores e fornecedores.

O CDC somente se aplica às operações comerciais em que estiver presente a relação de consumo, ou seja, nos casos em que uma pessoa (física ou jurídica) adquire produtos ou serviços como destinatário final.

Em síntese, faz-se necessária a existência de uma negociação em que estejam presentes o fornecedor e o consumidor, e que o produto ou serviço adquirido satisfaça as necessidades próprias do consumidor, na condição de destinatário final.

Desta forma, operações não caracterizadas como relação de consumo não estão sob a proteção do CDC, tal qual ocorre nas compras de mercadorias para serem revendidas pela empresa. Nessas operações, as mercadorias adquiridas se destinam à revenda e não ao consumo da empresa.

Assim sendo, essas negociações são reguladas pelo Código Civil brasileiro e legislações comerciais específicas.

Alguns itens regulados pelo CDC são:

– forma adequada de oferta e exposição dos produtos destinados à venda,

– fornecimento de orçamento prévio dos serviços a serem prestados,

– cláusulas contratuais consideradas abusivas,

– responsabilidade dos defeitos ou vícios dos produtos e serviços,

– prazos mínimos de garantia,

– cautelas ao fazer cobranças de dívidas.

Por se tratar de um estabelecimento comercial que exige a emissão de documento fiscal, o empreendedor deverá buscar também amparo de um profissional qualificado na área contábil, visando possibilitar todos os registros e regulamentações necessárias, incluindo neste processo a utilização de ECF – Máquina Emissora de Cupom Fiscal, confecção e emissão de Blocos de Notas Fiscais.

Em relação aos principais impostos e contribuições que devem ser recolhidos pela empresa, vale uma consulta ao contador sobre da Lei Geral da Micro e Pequena Empresa em vigor a partir de 01 de julho de 2007.

Resumo do Passo a Passo para a abertura de uma empresa:

• Passo 1 – Registro na Junta Comercial

• Passo 2 – Obtenção NIRE – Número de Identificação do Registro de Empresa

• Passo 3 – Obtenção CNPJ

• Passo 4 – Obtenção do Alvará de Funcionamento

• Passo 5 – Definição do Sistema Tributário

• Passo 6 – Providências relacionadas à Previdência e dos documentos fiscais

9- Legislação

É importante atentar a alguns pontos especiais a serem observados para instalação de uma mercearia:

• Lei n.º 8.078, de 11/09/1990 – Código de Defesa do Consumidor;

• Lei 10.962, de 11 de outubro de 2004 – dispõe sobre a oferta e as formas de afixação de preços de produtos e serviços para o consumidor;

• Decreto 5.903, de 20 de setembro de 2006 – Regulamenta a Lei nº. 10.962, de 11 de outubro de 2004.

10- Investimento do Empório

O investimento para abrir um empório dependerá do tamanho do empreendimento e de sua localização.

Caso tenha um espaço para a degustação de cervejas, vinhos ou café, o investimento também será um pouco maior, porém o retorno será proporcional.

Se o imóvel for alugado ou próprio, também deverá ser levado em conta no cálculo do investimento, que pode variar de R$ 70 mil a R$ 1 milhão.

11- Capital de Giro para Empório

O Capital de giro é um recurso financeiro que a empresa necessita manter para garantir fluidez ao ciclo de caixa.

Funciona como uma garantia para pagamento de despesas excedidas, pagamentos de funcionários, impostos, variações de vendas, etc.

Uma quantia fica imobilizada no caixa a fim de suportar as oscilações do negócio, por exemplo, quanto maior o prazo concedido aos clientes e estocagem, maior será a necessidade de possuir um capital de giro.

Portanto, não se deve retirar excessivamente dinheiro do capital de giro, pois isso poderá fazer com que a empresa tenha problemas com pagamentos futuros.

Neste tipo de segmento, a necessidade de possuir um capital de giro é muito alto, principalmente por ter que manter um estoque com reposição substancial, tende a variar entre 90% a 130% do valor inicial do investimento do negócio.

Seja qual negócio você for montar, a Zanotti Refrigeração está preparada para atender todas as suas necessidades, desde a montagem até os equipamentos

Acesse a página abaixo e solicite o contato de um dos nossos consultores especializados, estamos preparados para te atender.

 

Gostou do nosso artigo? Avalie nosso post:

Como Montar um Empório
4.5 (89.76%) 41 votes

 

Resumo
Como Montar um Empório
Nome do artigo
Como Montar um Empório
Descrição
O Empório é um comércio varejista, neste artigo você aprenderá a montar um empório, todas as dicas, os melhores equipamentos e muito mais.
Autor
Nome do autor
Zanotti Refrigeração
Logo do autor
Facebook Comments

Sobre a Zanotti

sobre a Zanotti

Somos especialistas na comercialização de equipamentos e utensílios para cozinha industrial, fabricação de painéis isotérmicos em EPS, além de montagem de projetos e consultoria para a criação e gestão de negócios do setor gastronômico como: franquias, lojas de conveniências, supermercados, lanchonetes, bares, restaurantes, padarias, açougues, sorveterias, entre outros.

Assessoria Projetos Zanotti

Inscreva- se em nossa newsletter!

Posts relacionados

0 Comentários

Deixe um Comentário